Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo toma posse afinado com Barbosa
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
2/1/2014 - Folha de São Paulo / Por David Lucena
 

O desembargador José Renato Nalini toma posse nesta quinta-feira (2) na presidência do Tribunal de Justiça de São Paulo com o intuito de fazer um levantamento dos processos de corrupção. Com isso, ele pretende melhorar o aproveitamento da corte paulista na meta estipulada pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça) para combater este tipo de delito.

O TJ-SP atingiu apenas 54% da chamada meta 18, que determinava que todos os processos de improbidade administrativa e de crimes contra a administração pública que entraram na Justiça até dezembro de 2011 deviam ser julgados até 2013.

"[Os processos de improbidade e de crimes contra a administração pública] estão disseminados em primeiro e segundo grau, em 327 comarcas. Então primeiro a gente precisa ter um levantamento. Depois verificar se justificaria dar um tratamento diferenciado, já que é uma meta do CNJ. O enfrentamento é depois de ter uma noção exata de onde estão esses processos", disse o presidente.

O mandato de Nalini, que foi eleito no dia 4 de dezembro para comandar o Judiciário paulista pelos próximos dois anos, representa uma aproximação da corte de São Paulo com o CNJ, conforme destaca o próprio presidente.

"O nosso relacionamento com o CNJ, como corregedor-geral [cargo ocupado por Nalini em 2012 e 2013], foi excelente. Então eu acho que vai continuar assim com a presidência. Basta dizer que a primeira vez que o ministro Joaquim Barbosa veio ao Tribunal de Justiça de São Paulo foi depois da minha eleição. Isso é testemunho de que o conselho e nós vamos estar afinados", afirmou.

Nalini diverge de Ivan Sartori – ex-presidente do TJ – em mais um ponto: a maneira como pretende resolver o impasse com o Ministério Público no que diz respeito à ocupação das salas por parte de promotores de Justiça em fóruns no interior.

Sartori levou a questão à Justiça e pediu a desocupação de centenas de salas. O caso foi parar no CNJ.

Já Nalini, que foi promotor de Justiça durante quatro anos, diz que não é preciso "despejar" os promotores e servidores do MPE e que fala diariamente com o procurador-geral, Márcio Elias Rosa.

"Não há nenhuma necessidade de expulsão, de retomada de espaço. Eu visitei todas as comarcas do Estado e vi que o convívio é muito saudável. Casos localizados têm que ser tratados topicamente. Não é assim de forma abrupta [que a situação será resolvida]", disse.

Nalini prometeu se empenhar para conseguir mais recursos para o Judiciário. "O orçamento, embora bilionário, é insuficiente. A estrutura é gigantesca, então precisaria fazer valer a autonomia financeira e administrativa do tribunal."

 
 
 
10/6/2019 - Celso Giannazi
Assetj participa de debate A Farsa da Previdência---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6/6/2019 - Assetj
Servidores de Ribeirão na luta pela Reposição Salarial---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6/6/2019 - Assetj
Pública participa de Plenária preparatória da Greve Geral---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
4/6/2019 - Assetj
TJSP abre inscrições para remoção---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
26/6/2019 - Assetj
Audiência Pública discute Reforma da Previdência

A luta é para que essa Reforma não seja votada.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
31/5/2019 - Assetj
Servidora morre durante expediente no Fórum de Sorocaba---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
4/6/2019 - Assetj
Assetj participa de Sessão Solene no Dia do Escrevente---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
29/5/2019 - Pública Central do Servidor
Fonacate protocola 10 emendas à PEC da Reforma da Previdência

Desconstitucionalização das regras previdenciárias, idade mínima, regras de transição, pensão por morte, alíquotas de contribuição dos servidores públicos são alguns temas das emendas elaboradas pelo Fórum.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Filiada à:
            
 
 
Links úteis:
        
      
 
 
 
Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Rua Tabatinguera, 91 - São Paulo - SP - Cep 01020-001 - Fone: (11) 3291-4077
 
 
Agenda eletrônica