Redução no consumo de água pode gerar desconto de até 48% na conta
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
6/2/2014 - Portal do Governo do Estado de São Paulo / Por Assetj
 

Em uma medida de combate ao desperdício de água, a Sabesp oferece um estímulo à economia dos usuários. Quem reduzir o consumo de água em pelo menos 20%, em um comparativo dos últimos 12 meses (como, por exemplo, de fevereiro de 2013 a janeiro de 2014) terá direito a um desconto de 30% na conta.

"Você economizou 20%, a tua conta cai 20% e ganha um bônus de mais 30%. Os 20% que economizou [o consumidor já] não pagaria, porque não gastou água, mas ele ganha um bônus de mais 30%, só que na conta dá 48% [de desconto, ocasionado] pela mudança de faixa (leia abaixo sobre as faixas de consumo). A conta de água reduz praticamente pela metade", explicou o governador Geraldo Alckmin.

A medida valerá para residências, comércios e indústrias abastecidos pelo Sistema Cantareira: toda a zona norte e o centro de São Paulo, parte das zonas leste e oeste da capital, Barueri, Caieiras, Carapicuíba, Francisco Morato, Franco da Rocha, Itapevi, Jandira, Osasco e Santana de Parnaíba. Em Guarulhos e São Caetano do Sul, também atendidos pelo sistema, a distribuição é de responsabilidade das prefeituras, que compram água da Sabesp. Caberá, portanto, aos serviços municipais a decisão sobre a concessão ou não do incentivo.

Estimulada pela falta de chuvas nos meses de dezembro e janeiro, que atingiram níveis recordes, a proposta da Sabesp é conceder um desconto na conta, que pode chegar a um abatimento de até 48%. O Sistema Cantareira, que abastece quase 10 milhões de pessoas na Grande São Paulo, está em nível crítico, dado também à onda forte de calor, que acarreta no aumento do consumo da água.

O benefício terá validade para as contas dos meses de referência de fevereiro a agosto, que chegarão aos consumidores de março a setembro. Para Santana de Parnaíba, a medida será aplicada nos meses de referência de março a agosto, com a chegada da fatura entre abril e setembro.

Desde 1930, quando começou a medição, nunca choveu tão pouco. Em dezembro de 2013 teve 62 milímetros de precipitação, quando a média histórica para os meses de dezembro é de 226 milímetros. Em janeiro de 2014 teve apenas 87,8 milímetros, também o pior índice em 84 anos. A média histórica é de 260 milímetros.

Faixas de consumo

Na elaboração das tarifas são levados em consideração os custos dos serviços, as diferenças e peculiaridades de sua prestação, as diversidades das áreas ou regiões geográficas, bem como a caracterização dos usuários conforme sua demanda e consumo.

Os usuários classificam-se em categorias divididas em residencial, comercial, industrial e pública. Para cada uma delas existe uma tabela com os valores estabelecidos para o consumo de até 10 m³, de 11 a 20 m³, de 21 a 50 m³ e acima de 50 m³, exceto para as tarifas residencial social e residencial favelas, que possuem cinco faixas de consumo, isto é, até 10 m³, de 11 a 20 m³, de 21 a 30 m³, 31 a 50 m³ e acima de 50 m³.

Do Portal do Governo do Estado

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Filiada à:
            
 
 
Links úteis:
        
      
 
 
 
Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Rua Tabatinguera, 91 - São Paulo - SP - Cep 01020-001 - Fone: (11) 3291-4077
 
 
Agenda eletrônica