Servidores do Judiciário aprovam pauta 2014
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
21/3/2014 - Assetj / Por Raquel Munhoz e Sylvio Micelli
 
RAQUEL MUNHOZ

Cerca de 600 servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, vindos de diversas regiões do estado, aprovaram a pauta unificada da categoria e que será o norte a ser seguido pelas entidades representativas neste ano. A Assembleia Geral aconteceu na tarde dessa sexta (21), na Praça João Mendes, no centro da Capital.

Pouco depois das 14 horas, o vice-presidente da Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (Assetj), Sylvio Micelli e Adolfo Benedeti (Pardal), vice-presidente da Assojuris, deram início à leitura de mais de 50 itens, fruto de diversas discussões, reuniões, seminários e encontros que as associações e sindicatos representativos dos servidores têm realizado desde o ano passado.

Em seguida, os representantes começaram a se manifestar. José Gozze, presidente da Assetj, foi o primeiro a fazer uso da palavra. Gozze reiterou o que já havia falado na reunião ocorrida na última terça (18) com o Tribunal. "Vamos batalhar para que, além da reposição de 6% já concedida, o TJ-SP também inclua 2,5%, em razão do PLC 30/2013 [que reajusta os vencimentos dos servidores em 10,55% em cinco parcelas anuais]." 

Gozze também reiterou uma luta que vem sido travada pela Assetj e pelas demais entidades que o reajuste do auxílio-saúde para 250 reais. "O TJ tem condições de dar esse aumento já. Não é nossa responsabilidade correr atrás do dinheiro e se for necessário pararmos, vamos parar", anunciou. 

O presidente da Assetj também não descartou um movimento grevista. "O Tribunal precisa cumprir a integralidade da Lei Complementar nº 1237/2013 [sobre a progressão anual, a GDAC (Gratificação de Desempenho de Atividades Cartorárias) e o Adicional de Qualificação]. Se não cumprir, qualquer greve que nós levantarmos será legal, porque o Tribunal não está cumprindo uma lei sancionada pelo Governador. Eles devem achar que estamos cansados de greve, mas se tivermos que parar isso vai acontecer, não tenho dúvida nenhuma", sendo aplaudido pela praça. O deputado federal Ivan Valente (PSOL) esteve presente na assembleia e declarou apoio aos servidores do Judiciário em caso de paralisação. “A greve dos servidores é legítima e somente nesse período os servidores descobrem sua força", afirmou o deputado.

Gozze voltou a defender a extensão da GDAC a todos os agentes: "não adianta o Tribunal querer enganar a gente e querer dar a gratificação apenas para o agente que está em cartório. Todos os agentes sempre fizeram o serviço de quem ganha mais e também merecem a gratificação".

José Gozze também se manifestou contra uma proposta que criava um adicional de produtividade aos escreventes. "A proposta é bem intencionada, mas o Tribunal não. Todos devem receber a mesma coisa, independente da quantidade de processos trabalhados. Isso não resolverá o nosso problema", alertou. A proposta foi rejeitada pela Assembleia.

O presidente da Assetj também ironizou a acomodação do TJ em relação aos projetos que são encaminhados para a Assembleia Legislativa: "não adianta o Tribunal mandar uma série de projetos e o presidente ir lá a cada dois meses para ver como estão tramitando. É obrigado do Tribunal fazer plantão semanal na Alesp até que os projetos sejam votados".

Todos estão unificados na luta da campanha salarial deste ano e aguardam a entrega da pauta. A servidora Sandra Regina da comarca de Itapevi aguarda o cumprimento de todos os itens: “o TJ tem muito dinheiro e tem que pagar o que é nosso direito”. Para o servidor José Carlos dos Santos da comarca de Dracena, um dos principais itens da pauta é o fim da terceirização: “eu era porteiro e o meu cargo agora é terceirizado. Hoje atendo telefone e carrego processos”.

 

Parlamentares dão apoio ao movimento dos Judiciários

Os deputados Ivan Valente (federal) e Carlos Giannazi (estadual), ambos do PSOL, estiveram presentes à assembleia e deram total apoio à luta dos trabalhadores.

Valente ainda mencionou sua luta pela PEC 170 que dá o direito de aposentadoria integral aos servidores inválidos e a PEC 555 que isenta os servidores aposentados e pensionistas de contribuir com a previdência.

Já o deputado Gianazzi, sempre presente nos encontros e mobilizações dos servidores, afirma que Judiciário tem que enfrentar o Executivo para que as diferenças sejam pagas corretamente aos servidores.

 

Antes da Assembleia

No período da manhã, na sede da Assetj, o conjunto de entidades se reuniu para discutir a realização da Assembleia Geral e alinhavar as propostas a serem apresentadas na praça.

 

Depois da Assembleia

Na próxima segunda, dia 24, ocorre uma reunião na Capital com representantes das entidades, para dar redação final à pauta da categoria que será protocolada no mesmo dia, junto à presidência do TJSP.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Filiada à:
            
 
 
Links úteis:
        
      
 
 
 
Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Rua Tabatinguera, 91 - São Paulo - SP - Cep 01020-001 - Fone: (11) 3291-4077
 
 
Agenda eletrônica