Julio Bonafonte entrega requerimento sobre licença saúde ao presidente do TJ-SP
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
18/7/2014 - Assetj / Por Julio Bonafonte
 

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR DOUTOR JOSE RENATO NALINI – PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

A ASSETJ- Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, a ANSJ- Associação Nacional dos Servidores da Justiça, FESPESP- Federação das Entidades de Servidores Públicos do Estado de São e FESPESP- Federação das Entidades de Servidores Públicos do Estado de São Paulo, vêm à presença de Vossa Excelência, expor e requerer o seguinte:

De plano, é de fundamental importância o destaque que será um dos alicerces para o deferimento do presente pedido, que é a contribuição previdenciária para obtenção da aposentadoria no serviço público.

Das sucessivas Reformas da Previdência – Emendas Constitucionais nº 20/1998, 41/2003 e 47/2005, a contribuição previdenciária passou a comandar a base do tempo de serviço para aposentadoria, como poderá se observar no artigo 4º caput da Emenda Constitucional nº 20/1998, recepcionado no artigo 2º, inciso III da E.C. nº 41/2003, cujo comando é o seguinte:

“Observado o disposto no artigo 40, § 10 da Constituição Federal, o tempo de serviço considerado pela Legislação vigente para efeito de aposentadoria, cumprido até que a Lei discipline a matéria, será contado como tempo de contribuição”. (G.N.)

Estes dispositivos legais trazidos, servem para explicar que todos os servidores públicos do Brasil, ao efetuarem as contribuições previdenciárias, tem direito à aposentadoria, inclusive principalmente quando não por outro motivo, mas em decorrência da doença em período de licença saúde.

Inexiste qualquer equivocada exegese que interprete e não queira contar esse tempo de licença saúde para fins de aposentadoria, penalizando e confundindo com o efetivo exercício.

Ora, o próprio Estatuto do Servidor Público do Estado de São Paulo – Lei nº 10.168/1968, que está completando 46 anos, já garantia no artigo 81, inciso II o referido direito.

“Artigo 81 – para efeito de disponibilidade e aposentadoria será contado o tempo de:

............................

II – Licença para tratamento de saúde 

............................

Não é possível deixar de contar licença saúde para fins de aposentadoria, mesmo porque no período ocorreu o pagamento da contribuição previdenciária e a própria Procuradoria Geral do Estado que emite Pareceres para o Departamento de Recursos Humanos do Estado, é sabedora e reafirma a contagem supracitada, apenas excetua para fins de aposentadoria especial que não é o caso objeto das aposentadorias no Tribunal de Justiça.

Mesmo nas aposentadorias especiais, absolutamente equivocado entendimento da Procuradoria que já está sendo questionado judicialmente com decisões favoráveis para os servidores e ao final será restabelecido.

Em correto Parecer de nº 44/2012, o Procurador do Estado, Dr. Demerval Ferraz de Arruda Junior, orientando a Coordenadora de Gestão de Recursos Humanos, traz um trecho elucidativo que merece transcrição:

............................

“Item 12 – A levarmos a diante, como até aqui se fez, a postura filológica que tem orientado as manifestações desta Especializada a respeito do tema, teríamos de concluir que não apenas a licença para tratamento de saúde ficaria de fora da contagem do tempo de serviço para que os mestres se aposentassem pela regra especial:

de fora, tambem,estariam os afastamentos em razão de licença-prêmio, licença-gestante, licença-paternidade, nojo, gala, faltas abonadas, e outros que, de igual modo, não se amoldassem àquela visão, severa de efetivo exercício. Não poderia ocorrer nem mesmo o Estatuto dos Servidores Públicos, que pela ótica do Parecer PA 70/1993, estaria a conspirar acintosamente pelo caminho do artifício ou do jogo de palavras, contra a letra cristalina da Constituição”.

Como pode se observar escreveu com tinta do exagero, mas com precisão, para reafirmar que é obrigatória a contagem da licença saúde para fins de aposentadoria e não poderia ser outra a razão. 

Diante destas situações absolutamente injustificável, o sobrestamento das aposentadorias voluntárias que tem o tempo de licença saúde contado retardando administrativamente a concessão, causa prejuízo aos servidores requerentes e inclusive poderão futuramente acionar o Estado com pedido de indenização por se locupletar do trabalho correspondente ao período a maior.

Para que não reste nenhuma dúvida, o legítimo direito já é tambem consagrado pela própria jurisprudência do Tribunal de Justiça de São Paulo e para tanto, trazemos à colação dentre outros, os Venerandos Acórdãos:

11º Câmara de Direito Público 

Apelação Cível nº 0002798-95.2012.8.26.0071

Relator: Desembargados Oscild de Lima Junior 

Ementa: “Faltas médicas e abonadas que, até o limite de 6 (seis), são consideradas como de efetivo exercício” (DOC. 1).

Recentemente, aos 25/02/2014, a 3º Câmara de Direito Público na Apelação nº 0016739-69.2012.8.26.0053, assim corretamente decidiu:

“Períodos de licença para tratamento de saúde. Artigo 81 do Estatuto dos Funcionários Públicos que prevê a contagem de tempo respectivo para fins de aposentadoria e disponibilidade.

.........................

.........................

Assim, embora tais períodos não sejam utilizados para contagem de outros benefícios, para fins de aposentadoria, as faltas médicas e afastamentos para tratamento de saúde são computados para fins de aposentadoria. (G.N.)

Não há dúvidas de que as Leis referidas nesse acórdão estão de acordo com a Constituição Federal, não havendo outra interpretação possível extraída da literalidade delas.” (DOC. 2)

Convictos de que Vossa Excelência determinará de imediato à Secretaria de Recursos Humanos do Tribunal de Justiça o deferimento e respectivas concessões das aposentadorias voluntárias com o computo das licenças saúde e faltas médicas, aguardam confiantemente o reconhecimento do legítimo direito.

São Paulo, 16 de julho de 2014.

____________________

JULIO BONAFONTE 

Associação Nacional dos Servidores do Poder Judiciário – ANSJ

____________________

JOSE GOZZE

Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça - ASSETJ 

 
 
 
10/6/2019 - Celso Giannazi
Assetj participa de debate A Farsa da Previdência---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6/6/2019 - Assetj
Servidores de Ribeirão na luta pela Reposição Salarial---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6/6/2019 - Assetj
Pública participa de Plenária preparatória da Greve Geral---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
4/6/2019 - Assetj
TJSP abre inscrições para remoção---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
26/6/2019 - Assetj
Audiência Pública discute Reforma da Previdência

A luta é para que essa Reforma não seja votada.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
31/5/2019 - Assetj
Servidora morre durante expediente no Fórum de Sorocaba---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
4/6/2019 - Assetj
Assetj participa de Sessão Solene no Dia do Escrevente---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
29/5/2019 - Pública Central do Servidor
Fonacate protocola 10 emendas à PEC da Reforma da Previdência

Desconstitucionalização das regras previdenciárias, idade mínima, regras de transição, pensão por morte, alíquotas de contribuição dos servidores públicos são alguns temas das emendas elaboradas pelo Fórum.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Filiada à:
            
 
 
Links úteis:
        
      
 
 
 
Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Rua Tabatinguera, 91 - São Paulo - SP - Cep 01020-001 - Fone: (11) 3291-4077
 
 
Agenda eletrônica