Nível universitário aos escreventes é discutido em reunião entre Assetj e TJSP
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
23/9/2015 - Assetj / Por Marianna Oliveira
 
FOTO JANAINA MARQUESINI
Entidades representativas dos servidores do Judiciário estão levantando a bandeira da exigência no nível superior para o cargo de escrevente.

No Poder Judiciário de São Paulo, as atividades são feitas com muita dedicação para que a justiça seja cumprida de forma eficaz. Direcionar processos judiciais à vara responsável de julgamento, acompanhar o andamento e desenvolver a pauta das audiências para juízes  com nome de todas as partes, número do processo e resumo do que será discutido, ter atenção contínua aos processos e alterações feitas por advogados ou qualquer outro suporte administrativo da comarca são obrigações de um cargo pouco valorizado no TJ: os escreventes.

O concurso para escrevente é um dos mais concorridos do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Até o momento, para ingressar na carreira é necessário possuir escolaridade em nível médio, entretanto, é comprovado que para atuar nessa função com eficiência os conhecimentos de instrução superior são imprescindíveis.

Diante desse cenário, entidades representativas dos servidores do Judiciário estão levantando a bandeira da exigência no nível superior para o cargo de escrevente, a exemplo da medida tomada para o cargo de oficial de justiça com a aprovação do PLC 56/13.

Em 2012, foram abertas 1.035 vagas e disputadas por 347.760 mil candidatos para trabalhar no TJSP, uma média de 336 pessoas por vaga. Já no final do ano passado, os concursos que aconteceram em dezembro foram disponibilizadas 471 vagas para mais de 140 mil candidatos, sendo quase 110 apenas na capital. Remuneração de R$3.878,07, carga de trabalho de 40 horas semanais, vale alimentação, saúde e transportes são benefícios para quem ingressa na carreira de escrevente.

Lutando para que todas as carreiras do TJ sejam valorizadas, a Assetj junto com o conjunto de entidades participou na última terça-feira (22) de uma reunião no Tribunal para discutir melhores condições de trabalho e exigir o nível universitário para quem ingressar na carreira de escrevente técnico judiciário. 

No encontro, a assessoria do TJ e entidades decidiram que será feito um estudo para a criação de um Projeto que Lei para instituir o nível universidade a todos os escreventes. 

Segundo José Gozze, a valorização do cargo é urgente. “Vamos regularizar uma realidade, pois a maioria já possui graduação”, afirmou o presidente da Assetj se referindo ao maior quadro de funcionários do TJSP com mais de 26 mil na ativa e por volta de 6 mil aposentados.

Cristina Akiko Tomita dos Santos está cursando o 3° ano do curso de direito e trabalha no Cartório do 3º Oficio de Família da Comarca de Campinas há 10 anos. Ela está entre as dezenas de milhares de escreventes que ainda esperam medidas do Poder Judiciário Estadual para a valorização pessoal e financeira da categoria. “Lidamos com pessoas que tem nível superior. Não dá para fazer um ofício com erros, um curso superior dá mais embasamento para atender nosso público que, na maioria das vezes são advogados e juízes, todos com formação superior”, criticou.

 
 
 
24/8/2017 - Assetj
Assetj, CNSP e Apamagis conversam sobre representação dos servidores públicos no Congresso Nacional

Os líderes comentaram sobre as movimentações no Congresso Nacional que prejudicam o funcionamento e entrega de serviços públicos à sociedade.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
5/9/2017 - Assetj
Centrais sindicais e entidades do serviço Público determinam calendário de luta

A reunião aconteceu na sede da CUT-SP e estabelece mobilizações.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
14/9/2017 - Assetj
Fespesp e Pública participam de Audiência Pública da CPI da Previdência

“o tema principal girou em torno do devedor contumaz: o grande causador do prejuízo previdenciário”

 

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
22/9/2017 - Assetj
PEC 212 - Novo regime de pagamento de precatórios

O relator é o deputado federal, Arnaldo Faria de Sá

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Filiada à:
            
 
 
Links úteis:
        
      
 
 
 
Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Rua Tabatinguera, 91 - São Paulo - SP - Cep 01020-001 - Fone: (11) 3291-4077
 
 
Agenda eletrônica
 
 23 Setembro
Excursão à 36ª Expoflora em Holambra
----------------------------------------------