Vitória dos credores de precatórios alimentares no STF
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
5/11/2015 - Assetj / Por Julio Bonafonte
 

Em recente julgamento no dia 29/10/2015 no Plenário do Supremo Tribunal Federal, por 6 votos a 0 "goleada constitucional", (o Ministro Dias Toffoli pediu vista apenas para retardar o julgamento), mas não vai alterar o resultado final, pois já foi obtida a maioria de votos, ficando decidido como Repercussão Geral para todas as entidades devedoras do Brasil, é que são devidos os juros moratórios, entre a data da conta e o depósito a ser efetuado.

As entidades devedores, especialmente o Estado do Rio Grande do Sul e União, queriam suprimir o período entre a data do cálculo e a expedição do precatório, o que evidentemente não é possível, pois dependendo do tempo decorrido entre essas duas fases diminui o crédito de 25 a 30%.

Fiz sustentação oral e defendi com ênfase a impossibilidade de qualquer supressão de crédito no precatório para que ele seja pago integralmente.

Cobrei do Ministro Teori Zavascki o mesmo posicionamento de outro julgamento também de Repercussão Geral, o ARE 638.195 em que sustentei oralmente e fomos vencedores, pois a questão era a mesma, mas tratava-se de requisição de pequeno valor. 

Lembrei ao Ministro Teori que por três vezes ele afirmou que não existe nenhuma interpretação ou período vago ou qualquer período na Constituição Federal, devendo ser cumprida nos termos do artigo 100 § 12º redação na Emenda Constitucional nº 62/2009, ADI 4357, ou seja, os juros e atualização monetária da data da expedição (significa data do cálculo final da conta) até a data do depósito.

Ao Ministro Luiz Fux reafirmei que ele é conhecedor de que a atualização é automática, eletrônica e administrativa e todos os Estados já praticam, apenas o Estado do Rio Grande do Sul (recorrente)  e algum outro ente devedor que procura pagar menos,  procedendo erroneamente, bem como, alertei a Ministra Rosa Weber  sobre o que se praticava na Justiça do Trabalho, sua origem.

Fiz questão de explicar o sistema precatório nas suas diversas fases, que corresponde desde a elaboração da conta de liquidação até a determinada data atualizada no mês de atualização, seguindo-se as fases processuais, como: citação, embargos e outras, até a expedição do oficio requisitório, que retrata a data final da conta e o valor total, posteriormente a inclusão orçamentária, o depósito e levantamento, para que não restasse dúvida de que os juros moratórios e atualização monetária são devidos em continuação para compor a integralidade do crédito.

Destaquei ainda que deve ser cancelada a Súmula 17, a do (período da graça - 9% de juros) período de 01/07 de um determinado exercício até 31/12 do exercício seguinte, que não tem mais razão de existir com o texto do artigo 100, § 12º, redação atual da Constituição.

Comparei simbolicamente com um jardim repleto de rosas, em que um dia alguém subtraiu algumas rosas, acreditando que não faria falta e não seria percebido, nos dias seguintes sucessivamente foram sendo subtraídas outras rosas, a ponto de restar somente os espinhos, que nada mais é a situação dos credores de precatórios alimentares quando se suprime varias partes do credito, o que não pode se admitir, sob pena de total desmoralização do sistema de precatórios.

Finalmente cobrei o Ministro Relator Marco Aurélio, que em julgamento anterior disse que “os brasileiros têm que amar mais a Constituição Federal”, enfatizei que os credores de precatórios alimentares amam e acreditam Nela,  no Estado Democrático de Direito e Segurança Jurídica, mas é necessário que os Senhores Ministros do Supremo Tribunal Federal, como guardiães da Constituição devem fazer com que ela seja cumprida pelos devedores de precatórios, sob pena de punição.

Felizmente, fez-se Justiça nesse julgamento, pois ela  foi cumprida!

Veja o vídeo da sustentação oral na íntegra: https://www.youtube.com/watch?v=xV_LRZx1jQo

 
 
 
6/11/2019 - Assetj
Por 41 a 40 votos, deputados aprovam PL 899 contra os servidores---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
25/10/2019 - Assetj
Vitória em Ação dos Quinquênios---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
4/11/2019 - Fespesp
Servidores e Deputados reunidos contra a Securitização da SPPrev---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
24/10/2019 - CNSP
Nota de repúdio ao governador João Doria---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
30/10/2019 - CNSP
Entidades entregam Ofício a Deputados Estaduais contra PL 899/2019---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
31/10/2019 - Pública Central do Servidor
Nota de repúdio às declarações do deputado federal Eduardo Bolsonaro---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
30/10/2019 - Fespesp
Audiência discute securitização e ameaças às aposentadoria e pensões---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
28/10/2019 - Pública Central do Servidor
Pública homenageia os Servidores Públicos em seu dia---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Filiada à:
            
 
 
Links úteis:
        
      
 
 
 
Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Rua Tabatinguera, 91 - São Paulo - SP - Cep 01020-001 - Fone: (11) 3291-4077
 
 
Agenda eletrônica
 
 22 Novembro
Excursão Olímpia/ Thermas dos Laranjais
----------------------------------------------
 24 Novembro
6ª Caminhada De Bem com a Vida
----------------------------------------------
 25 Novembro
Ato em Defesa do Serviço Público
----------------------------------------------
 26 Novembro
Ato contra a Reforma da Previdência
----------------------------------------------
 20 Março
Excursão para Capitólio - Minas Gerais
----------------------------------------------
 17 Abril
Excursão para Arraial do Cabo
----------------------------------------------