Uma estranha forma de tratar os servidores
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
24/11/2015 - Assetj / Por José Gozze
 
FOTO DIVULGAÇÃO

Em março deste ano o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Renato Nalini, concedeu a reposição salarial, cumprindo a Constituição Federal e a Lei da data-base, porém com o índice menor do que a inflação do período.

Várias reuniões foram solicitadas, quase todas com a assessoria da presidência. Algumas com o próprio Nalini, sem que se chegasse a uma solução. Faltavam apenas 1,18% e a vontade política do chefe do Poder Judiciário do Estado de São Paulo. A lamúria era sempre a mesma. Estamos em crise, o Estado está em crise, talvez não tenhamos dinheiro nem para pagar o décimo terceiro.

Em uma das reuniões, essa com a presença do presidente, quando alertado que o Poder Judiciário não estava cumprindo o artigo 37, inciso X da Constituição, ouvimos que o enunciado era apenas uma norma que poderia ou não ser cumprida de acordo com a situação financeira.

No entanto não nos pareceu tão grave a situação financeira quando foi divulgado o montante salarial recebido pelos desembargadores e juízes, justo pagamento, uma vez que eram verbas devidas a título de compensação, mas em detrimento de uma divisão mais justa que incluísse a dívida inflacionária dos servidores.

Foi preciso que o Conselho Nacional de Justiça fosse acionado para que a verba aparecesse e na presença dos dois candidatos a próxima eleição da corte, anunciado o cumprimento integral da data-base o que deverá ocorrer ainda no mês de dezembro.

Esperamos que o eleito para o próximo biênio tenha um compromisso mais sério com aqueles que administram o Judiciário no árduo trabalho, em cada cartório, em cada sessão administrativa e que o discurso se transforme em ação.

Enfim, servidores estejamos conscientes de que só a incansável luta nos fará justiça, mesmo na casa da Justiça.

 
 
 
26/6/2019 - Assetj
Audiência Pública discute Reforma da Previdência

A luta é para que essa Reforma não seja votada.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
28/6/2019 - Pública Central do Servidor
Centrais definem data de mobilização nacional---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
19/7/2019 - Centrais Unificadas
Os próximos passos da luta em 2019---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Filiada à:
            
 
 
Links úteis:
        
      
 
 
 
Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Rua Tabatinguera, 91 - São Paulo - SP - Cep 01020-001 - Fone: (11) 3291-4077
 
 
Agenda eletrônica