Delações da Odebrecht abalam o governo e entidades fortalecem articulações contra a PEC 287
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
17/4/2017 - Assetj / Por Marianna Oliveira
 
FOTO MARIANNA OLIVEIRA
s encontros, que começaram em janeiro, devem seguir o calendário de votação da PEC até o Plenário da Câmara

Quase um mês depois da manobra de Michel Temer no texto da Reforma da Previdência, entidades que representam os serviços e servidores públicos de todas as esferas voltaram a se reunir na manhã de hoje (17) em São Paulo, no escritório do deputado federal Arnaldo Faria de Sá. Os encontros, que começaram em janeiro, devem seguir o calendário de votação da PEC até o Plenário da Câmara. 

Faria de Sá já tinha citado na reunião anterior que as delações do executivo Benedicto da Silva Júnior, ex-presidente da construtora Norberto Odebrecht abalariam o governo. Na semana passada, o Supremo Tribunal Federal divulgou uma lista com 179 políticos envolvidos no esquema de pagamentos via caixa 2. Com o escândalo, o governo federal, relatores da Comissão e os próprios deputados “baixaram a guarda” e a leitura do texto da PEC 287, prevista para março, foi adiada e ainda não há uma data definitiva. 

Toda essa mudança soou de forma positiva às entidades do serviço público. Arnaldo esclareceu que elas [entidades] “ganharam um tempo para dar continuidade às articulações em suas bases e o trabalho tem que continuar desesperadamente”. Ainda em sua fala, Arnaldo contou que “o relator Arthur Maia e o presidente Michel Temer entraram em contato neste fim de semana para me convencer a votar na Reforma do jeito que ela está. Eles têm tentado de todas as maneiras… Mas não tem como, vou continuar votando contra”, completou. 

Algumas mudanças no texto da PEC também estão previstas, de acordo com Faria de Sá. O deputado comentou que há surpresas no relatório que será apresentado pela Comissão da Reforma. “Entre a exclusão dos policiais, o governo pretende mexer também na regra de transição, trabalhadores rurais, professores e questões de pensão. Mesmo assim, a briga deve continuar, pois a Reforma continua muito prejudicial”, ressaltou. 

O diretor de Previdência da Fespesp e presidente do Conselho Deliberativo da Assetj, Julio Bonafonte, sempre presente nos encontros, alertou que o trabalho agora é em Brasília. “Nós temos 513 deputados e precisamos de 308. De forma administrativa, Isso é perfeitamente possível, já que em reformas passadas nós viramos o jogo. Vamos entregar o manifesto [Mandado de Cidadania] e mostrar para os deputados como estamos lutando contra essa Reforma”, frisou. 

Complementando o pedido de Bonafonte, o vice-presidente executivo do Sindilegis e diretor da Pública - Central do Servidor, Paulo Cezar Alves, convidou a todos para participar do ato no Anexo II da Câmara dos Deputados, em Brasília, no dia 25 de abril, promovido pelo Sindilegis. “As delações pararam o Congresso e nós temos que aproveitar esse momento. Teremos dificuldades para entrar, mas com o apoio das entidades e do deputado Arnaldo, o ‘barulho’ vai acontecer. É um momento crucial, os deputados se preocupam com as nossas mobilizações”, observou. 

A maneira como a PEC 287 e funcionalismo são tratados na grande mídia causa bastante incômodo e também vêm sendo discutida nas últimas reuniões pelas entidades. O presidente da Confederação Nacional dos Servidores Públicos (CNSP), Antonio Tuccilio, comentou sobre a abordagem da rede Bandeirantes, em especial do jornalista Ricardo Boechat, em relação aos servidores públicos. “Essa campanha que estão fazendo contra nós é absurda. Enquanto trabalhadores privados contribuem com 8% - salários de até R$5 mil -, os servidores pagam 11% até mesmo depois de aposentados. Isso ninguém fala, é inadmissível”, destacou.  

O assunto trouxe de volta os debates sobre a importância de mobilizações nas redes sociais. As entidades trocaram números de telefone e e-mails para compartilhar todas as informações e atingir o máximo de pessoas possíveis. 

Ao final, Faria de Sá trouxe dados importantes e salientou algumas datas da Câmara. “Essa delação é muito significativa mas não é tudo. Se os R$10 bilhões de reais de caixa 2 assustam, imagina os R$120 bilhões que o governo tirou da Seguridade Social. O relatório deve ser lido entre essa semana e a próxima, mas não pode ser votado em seguida, pois precisa de vista regimental. A partir de semana que vem, precisamos ficar atentos. Nós ganhamos tempo e agora cabe a nós”. 

 
 
 
13/11/2018 - Assetj
CCM discute contradições no Projeto de Autarquia do Iamspe

Servidores de todas categorias presentes em Audiência Pública.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
31/10/2018 - Assetj
TJSP cumpre Constituição e autoriza novo cálculo de contribuição

Servidores com doenças graves serão ressarcidos com a nova regra.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
8/11/2018 - Assetj
Servidores dos Judiciário realizam atos em todo estado

O dia 7 de novembro ficou marcado como o Dia de Luta pelo Judiciário. Servidores de diversas comarcas do estado se reuniram para discutir as pautas da campanha salarial e o encaminhamento do Projeto de Nível Universitário aos Escreventes.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
10/11/2018 - Jornal O Dia
Para senador, fim do Ministério do Trabalho é um retrocesso

Anúncio da pulverização da pasta é rechaçado por representantes dos trabalhadores. Procurador-chefe alerta para precarização de serviços

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
1/11/2018 - Assetj
Entidades do Judiciário definem dia de mobilização

Dia 7 de novembro serão realizados atos nos prédios do estado

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
15/11/2018 - Assetj
TJSP nega reunião com as entidades

Lideranças de associações foram rechaçadas pela Polícia Militar

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Filiada à:
            
 
 
Links úteis:
        
      
 
 
 
Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Rua Tabatinguera, 91 - São Paulo - SP - Cep 01020-001 - Fone: (11) 3291-4077
 
 
Agenda eletrônica
 
 21 Novembro
Ato em defesa do Judiciário
----------------------------------------------
 7 Dezembro
Almoço dos Aposentados - Especial
----------------------------------------------