De onde vem e quanto entra de dinheiro da Previdência?

O governo de Michel Temer apresentou em dezembro de 2016 uma proposta de reforma da previdência social sob justificativa de déficit da previdência e que, sob as regras atuais, o sistema está fadado a quebrar. Porém, para manter o sistema, o governo utiliza a contribuição de milhões de trabalhadores e de impostos como Cofins, PIS/Pasep e CSLL, loterias federais e produção agrícola. Essas arrecadações são superavitárias e capazes de suprir a Seguridade Social.

NÃO PODEMOS ACEITAR essas medidas tão cruéis com o trabalhador!

 
     
1) Exigência de idade mínima para aposentadoria a partir dos 65 (sessenta e cinco) anos para homens e mulheres;
 
2) 49 (quarenta e nove) anos de tempo de contribuição para ter acesso à aposentadoria integral;
 
3) Redução do valor geral das aposentadorias;
 
4) Precarização da aposentadoria do trabalhador rural;  
 
5) Pensão por morte e benefícios assistenciais em valor abaixo de um salário mínimo;
 
6) Exclui as regras de transição vigentes;
 
7) Impede a cumulação de aposentadoria e pensão por morte;
 
8) Elevação da idade para o recebimento do benefício assistencial (LOAS) para 70 anos de idade;
 
9) Regras inalcançáveis para a aposentadoria dos trabalhadores expostos a agentes insalubres;
 
10) Fim da aposentadoria dos professores.